728x90 AdSpace

Últimas News

10 de jan de 2013

O MSN vai acabar. E agora, como faço para me comunicar?

"Hora de ver no mercado qual será o seu programa de mensagem instantânea, mas sem perder a produtividade!"
Windows Live MessengerE
ssa semana rolou pela Internet a notícia que a Microsoft vai aposentar o MSN (Windows Live Messenger). Em seu lugar, a empresa sugere que os usuários migrem para o Skype (adquirido pela empresa em maio de 2011). A mudança poderá ser feita até o dia 15 de março usando a mesma conta, e a promessa é que todos os seus contatos serão mantidos.
Eu particularmente comemorei essa notícia. Sempre achei o MSN um grande vilão na falta de foco. Há 5 anos atrás, eu comecei a trabalhar como freelancer eu sempre deixava o status como invisível, e de dois anos pra cá, nem o ligava mais, só quando alguém me pedia. O mesmo ocorria com o GTalk e o Skype.

Mas para que ter uma conta num Instant Messenger, se ela fica desligada o tempo todo?
A questão é que a Internet amadureceu muito depois da explosão com as redes sociais. Tanto o Twitter quanto o Facebook, e agora mais recentemente o Google+, foram fundamentais para as empresas levantarem a questão da privacidade de uma forma mais efetiva. Afinal, nem todo mundo está disponível para conversar o tempo todo certo!? Até Martin Cooper, o criador do celular disse numa entrevista “Não sinto a necessidade de estar disponível o tempo todo”.
Sintetizando: a comunicação mudou muito, e nós precisamos nos adaptar para não perder o foco. Pensando nisso eu resolvi fazer um breve análise dos principais IM’s e afins do mercado, em busca do máximo de produtividade levando em consideração quanto a configuração de privacidade, segmentação e engajamento dos contatos. Vamos lá:

Nem todo mundo quer estar disponível o tempo todo

Se pegarmos o cenário da maioria dos IM’s clássicos do mercado (MSNGTalk e Skype), a única forma de manter privacidade era configurando o status como “disponível/online“, “ocupado“, “ausente/offline” e “invisível“, mesmo assim isso não garantia que alguém não mandasse a mensagem típica “vc tah aí?” quando não o via online. Era um pé no saco ter que ignorar “um tempinho” aquele contato inconveniente só para ele se mancar que as suas respostas monossilábicas como “sei“, “rs” ou “hum” significavam na verdade que você não gostaria de ser incomodado naquela hora. Isso acontecia o tempo todo e com qualquer um. Minha lista de bloqueados estava começando a ficar maior do que a de contatos quando resolvi não ligar mais o MSN desde então.
GTalk

Com o MSN desligado, eu voltei a ser produtivo, mas o meu telefone começou a tocar mais vezes do que o normal. Frases como “ué, teu MSN está desligado? Te chamei lá e você não me respondeu” eram mais comuns, e confesso que não ficava confortável com isso. Como freelancer, é importante você ser achado pelo mercado, tanto pelos clientes quanto pelos seus parceiros comerciais. Foi só quando eu entrei para o Twitter em setembro de 2007 é que um novo patamar de comunicação surgiu para mim. A Direct Messenger (DM) passou a ser como um novo filtro de comunicação. O fato do Twitter ser uma rede social assíncrona, ou seja, eu não preciso seguir quem me segue, faz com que eu escolha os meus contatos que eu quero falar efetivamente e isso mudou o comportamento das pessoas.
Skype

No Facebook a coisa é bem mais complexa pela quantidade de formas de comunicação. Mas quando se trata de mensagem privada similar a um IM, qualquer um podia enviar uma mensagem e iniciar uma conversa. O que forçava isso era a amizade entre os contatos. Mas quando a “assinatura” foi lançada em meados de 2011, a rede social também passou a ser assíncrona e junto com a segmentação dos contatos, fez com que ficasse mais fácil definir quem pode conversar instantaneamente conosco.

Amigos, amigos, negócios à parte!

E por falar em segmentação de contatos, esta é uma forma bem eficaz de definir quem pode nos enviar uma mensagem instantânea. Com essa função você pode criar quantas listas quiser e de acordo com a necessidade, segmentar ainda mais. Por exemplo, sabe aquela sua tia chata que vivia enviando mensagens com PPT lindos para você? Basta categorizá-la como família e bloquear a lista. Mas se você quer que os seus primos possam se comunicar com você, classifique-os como “família legal” e seja feliz! Isso é segmentar!
A mesma regra vale para o trabalho. Nada de deixar aquele seu amigo freelancer que fala pelos cotovelos habilitado para iniciar uma conversa. Crie listas específicas para cada tipo de situação. Analise com critério, e pense que o maior prejudicado será você se ficar de papo-furado!
o-msn-vai-acabar-e-agora-como-faco-para-me-comunicar-004

E qual IM clássico pode substituir o MSN?

A tendência natural é o público migrar para o Skype. Ele é bem completo, mas é um “ladrão de banda de Internet“. Recursos como envio de arquivos, compartilhamento de tela, somados a podermos conversar por áudio e vídeo, sem dúvida é uma boa opção. A questão problemática continua sendo a segmentação e a disponibilidade. Nessa questãoFacebook Messenger é excelente, pois respeita a segmentação dos seus contatos.
Mas pra mim o campeão mesmo é o Hangout do Google Plus. Sem dúvida é o mais completo de todos pois engloba de forma simples todas as funções que mencionei antes. Ok, vocês devem estar falando que estou bastante tendencioso uma vez que estou usando o Google Plus no lugar do Facebook. Mas entendam, é o engajamento dos meus contatos que faz com que quase não haja interrupções no meu dia por lá, mas sem ficar ausente.
o-msn-vai-acabar-e-agora-como-faco-para-me-comunicar-005

De qualquer forma isso não é uma regra e cada pessoa pode filtrar e usar o IM que quiser sem deixar de ser produtivo. Tem gente que usa outros aplicativos como Viber,WhatsApp e Facetime para se comunicar, vale tudo, só não pode perder o foco.
E vocês, como vão se comunicar com os seus contatos depois do dia 15 de março? Queremos ler nos comentários as opções de vocês!
  • Blogger Comments
  • Facebook Comments

0 comentários:

Item Reviewed: O MSN vai acabar. E agora, como faço para me comunicar? Description: Rating: 5 Reviewed By: Tangles Martins